24 de Novembro DE 2017 | SOBRE ESTE BLOG
Sábado, 15 de Julho de 2017, 07h:42
Tamanho do texto A- A+

Política / RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Taques pede celeridade em liberação de voo entre Cuiabá e Santa Cruz

Ministro boliviano disse acreditar que até o mês de agosto a questão estará solucionada junto ao órgão responsável pela liberação de voos.
DO GCOM

 

Em nova visita oficial ao Departamento de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, o governador Pedro Taques voltou a tratar dos dois temas essenciais para a integração de Mato Grosso com o oeste da América do Sul. Em reunião com o ministro de Obras Públicas e Serviços de Habitação, Milton Claros, o governador pediu celeridade na liberação do voo entre Cuiabá e Santa Cruz de la Sierra e voltou a destacar a importância da pavimentação do trecho entre San Matias e San Ignácio, 315 quilômetros que dificultam a integração de Mato Grosso com Bolívia.

Na reunião com o ministro, o governador destacou que a visita é motivo de muita ansiedade porque Mato Grosso está próximo à Bolívia e, ao mesmo tempo, longe por conta da dificuldades na integração. Taques ressaltou ainda que o Governo de Mato Grosso tem o compromisso de buscar uma ligação forte com o oeste da América do Sul.


No encontro, Taques lembrou que 30 mil estudantes brasileiros estudam na Bolívia, principalmente o curso de medicina. Do total, 5 mil estudantes são de Mato Grosso e demoram até 24 horas em voos quando precisam regressar ao Brasil. "Não podemos estar tão perto e tão distantes ao mesmo tempo", afirmou.


O secretário-adjunto de Turismo, Luis Carlos Nigro, disse que a Bolívia passa por um momento de intenso crescimento. Para ele, o voo e a estrada farão a grande Integração esperada há tanto tempo por Mato Grosso e pelo Departamento de Santa Cruz. Segundo Nigro, há um grande mercado esperando a operação do voo.


Disse ainda que em Mato Grosso já está tudo pronto para receber novamente o voo entre Cuiabá e Santa Cruz de la Sierra. Lembrou que o atual Governo está em processo de finalização das obras do Aeroporto Marechal Rondon, tendo a parte internacional preparada para novas linhas.


A reunião contou com a participação do diretor da Azul Linhas Aéreas, Ronaldo da Silva Veras, que agradeceu ao ministro pelo empenho para a liberação do voo. Ele destacou que a empresa quer muito permanecer em operação no país. A empresa deve iniciar a operação com um avião Embraer 195 com capacidade de 118 passageiros por viagem, com possibilidade de mudança para um Airbus 320, quando a linha estiver consolidada. A empresa busca sair de Cuiabá às 21h, recebendo todas as conexões da empresa para o país.


A Azul Linhas Aéreas deve operar no país em conjunto com a boliviana BOA, que faz voos para a Espanha, Estados Unidos, Argentina e Panamá. As duas empresas devem trabalhar em conjunto no sistema de emissão de passagens aéreas.


Representando o trade turístico de Mato Grosso, Oiran Ferreira lembrou que desde 1998 há o impasse para a operação de voos entre Cuiabá e Santa Cruz de la Sierra. "Estamos cansados de ir pra São Paulo e passarmos por cima de nosso estado. Aqui é o corredor para ir para os países do leste e até mesmo aos Estados Unidos", exemplificou.


O ministro disse acreditar que até o mês de agosto a questão estará solucionada junto ao órgão responsável pela liberação de voos. Para isso, o ministro abriu a possibilidade da Azul poder iniciar a operação em setembro, durante a Feira de Exposição de Santa Cruz de la Sierra.


Estrada

Quanto à estrada, o ministro destacou que a pavimentação faz parte do plano de governo do presidente Evo Morales e que a obra será executada. Segundo ele, o ministério já iniciou os estudos necessários para fazer a ligação e, em breve, deve saber o valor do investimento necessário.


Taques destacou que Mato Grosso deve ser o maior parceiro comercial para venda da ureia boliviana, que começará a ser produzida. O mato-grossense destacou que não será razoável que o fertilizante tenha que passar por outros estados brasileiros até chegar a Mato Grosso, tendo em vista a curta distância entre a região produtora e a consumidora.


O ministro destacou que isso reforça a estratégia do governo local em fazer a construção do grande corredor bioceânico que envolve a pavimentação de rodovias e a construção de ferrovias. Em dado prévio, o ministro disse que a pavimentação da rodovia deve custar US$ 1,2 milhão, por quilômetro, na forma mais moderna ou cerca de US$ 800 mil, por quilômetro, em um modelo mais econômico. Mas a resposta só terá ao fim dos estudos iniciados pelo Ministério.


Ao fim do encontro, o governador Pedro Taques convidou o ministro para a ir a Mato Grosso conhecer os potenciais do estado e ainda participar do voo inaugural entre Cuiabá e Santa Cruz de la Sierra. Por fim, o chefe do Executivo Estadual destacou que 200 mil bolivianos moram em São Paulo e trabalham na indústria de confecção. Disse que Mato Grosso, através da ZPE de Cáceres, buscará ser um grande pólo têxtil, o que pode incentivar a abertura de novas empresas na zona de fronteira e dar trabalho digno ao povo boliviano que não precisará migrar até São Paulo em busca de oportunidade, quase sempre precária.


Taques permanecerá na cidade e ainda terá agenda com o ministro de Hidrocarburetos e Energia, Luis Alberto Sánchez, e depois com o governador do Departamento de Santa Cruz, Rubén Costas Aguilera.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Blairo passa por cateterismo no Sírio Libanês, em SP

Jayme sinaliza para saída do DEM da base de Taques

Justiça Federal absolve ex-presidente do Intermat

Governo desiste de mudar nomes de duas escolas no interior

VEJA MAIS

Vídeo comentário

O Governo Pedro Taques gosta de viver perigosamente

VEJA MAIS

ARTIGOS

MT é exemplo para o mundo

Por: CARLOS FÁVARO

Existe sempre uma fila

Por: RENATO NERY

Vencedores do preconceito

Por: GRACI MIRANDA
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Ciro Gomes não acredita que Taques se reeleja em Mato Grosso
  2. Jayme diz que escolha de Fábio Garcia para presidir DEM terá de ter consenso
  3. Juíza dá 72 horas para Estado se manifestar sobre cobrança de juros
  4. TV francesa aponta Maggi como político bilionário com reputação controversa
  5. Guilherme Maluf quer instalar CPI na AL para investigar consignados

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL