25 de Fevereiro de 2018 | SOBRE ESTE BLOG
Domingo, 16 de Julho de 2017, 09h:04
Tamanho do texto A- A+

Política / MANIFESTAÇÃO

MPs dizem que comportamento do Estado de MT é contraditório no caso VLT

Para MPs, o fato do Estado querer desistir de ações que cobram os prejuízos contradiz com o discurso de que a obra parada pode acarretar mais prejuízos ao Estado.
LAICE SOUZA
DA REDAÇÃO

 

A manifestação dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, na Justiça Federal, foi recheada de críticas contra o Estado de Mato Grosso e o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, mas especificamente, no que se refere ao acordo firmado para retomada da obra. Uma delas é quanto ao argumento do Estado que a não retomada da obra pode causar ainda mais prejuízos.

Para os MPS, “se o Estado mostra-se tão preocupado com a demora na implantação do modal e com os prejuízos advindos desta morosidade à sociedade mato-grossense, por que prever na cláusula 33 do acordo a extinção da ação nº 18861-45.2014.4.01.3600, em que se pede condenação por dano moral coletivo justamente por estes fatos? Ao que parece, há claro comportamento contraditório do ente federativo [Estado de MT]”.


No acordo firmado entre o Estado e o consórcio para a retomada das obras há a previsão da extinção das ações em tramitação que se exige o pagamento de indenizações. O fato é considerado grave pelos membros dos Ministérios Públicos, porque podem causar ainda mais prejuízos aos cofres públicos.


Conforme o acordo, que aguarda um posicionamento da Justiça Federal se será homologado ou não, o Estado irá pagar mais R$ 922 milhões ao consórcio para retomada da obra, que deveria ter ficado pronta antes da Copa do Mundo de 2014, ou seja, há mais de 3 anos.

 

A manifestação do MP foi contra a homologação do acordo, visto que ainda existem erros a serem sanados e que não foram observados tanto pelo Estado como pelo consórcio.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Prefeita de Sinop se afastará do cargo em março

Arthur Virgílio desiste das prévias e critica Alckmin

Toffoli entrega voto do "foro privilegiado" no próximo mês

Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Carlos Fávaro é uma confusão política ambulante

VEJA MAIS

ARTIGOS

Hospital Julio Müller

Por: ALFREDO MENEZES

Mudanças sim! Conformismo não!

Por: JUNIOR MACAGNAM

Truco

Por: EDUARDO PÓVOAS
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Silval revela que 7 deputados fizeram extorsão por acordo na AL
  2. Blairo Maggi anuncia nesta segunda-feira se vai ou não disputar eleições
  3. Concessionárias elevam preços, mesmo sem cumprir contratos
  4. Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar
  5. Presidente do PT diz duvidar que STF impeça prisão de Lula a tempo

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL