Domingo, 24 de Setembro de 2017, 12h27
VÍDEO EDITADO
Como delator da JBS, Silval Barbosa pode perder benefícios da delação
Advogados defendem que gravação foi tentativa frustrada de conseguir obstrução de justiça em favor a Emanuel

SÍLVIA DEVAUX
DA REDAÇÃO

 

Como aconteceu com o delator da Lava Jato, Joesley Batista, que omitiu informações na delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o acordo do ex-governador Silval Barbosa, da esposa Roseli, do filho Rodrigo, do irmão Antonio da Cunha e do seu ex-chefe de gabinete Silvio Araújo corre risco de ser anulado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) depois que Silvio foi gravado revelando que vídeo apresentado como prova à PGR sofreu edições.

 

Leia mais:

Nova gravação ameaça delação do ex-governador Silval Barbosa

 

A acusação contra o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), que aparece no vídeo da delação de Silval enchendo os bolsos de suposta propina paga pelo ex-governador, já perde força com a revelação do áudio, publicado pela Folha de S. Paulo na quinta-feira (21), em que o ex-chefe fala que a imagem do prefeito no vídeo da delação seria de um outro contexto e não recebendo o mensalinho que o governo do peemedebista pagava para os deputados apoiarem seus projetos na Assembleia Legislativa.

 

Após a divulgação da gravação do ex-chefe de gabinete, feita pelo ex-secretário estadual Alan Zanatta (Indústria), o presidente do Legislativo, deputado Eduardo Botelho (PSB), que também foi citado na delação do ex-governador, pediu que a população aguarde a apuração para fazer pré-julgamentos dos políticos delatados. A lista é bastante extensa, além deles, cita dezenas de deputados e ex-deputados, mais de 30 ex-secretários, adjuntos e chefes de autarquias inclusive dos governos passados e também o ex-governador e atual ministro da gricultura, Blairo Maggi (PP).

 

O áudio foi apreendido na casa do prefeito Emanuel durante a 12ª Fase da Operação Ararath, denominada Malebolge – referente à obra mais famosa de Dante Alighieri, "A Divina Comédia"–, no último dia 14. O advogado André Jacob, que faz a defesa de Emanuel, já teria pedido ao STF que perecie a nova gravação que comprova que os delatores Silval Barbosa e Silvio Araújo mentiram em seus depoimentos ao Ministério Público Federal/PGR na acusação contra seu cliente.

 

Em nota, os advogados de Silval e de Silvio negam que tenham omitido informações na delação premiada e que a gravação de Zanatta foi uma tentativa frustrada de conseguir uma obstrução de justiça em favor ao prefeito de Cuiabá.

 

 

 


Fonte: Blog do Antero
Visite o website: http://www.blogdoantero.com.br/