Ação truculenta da Polícia Militar contra estudantes foi destaque dessa semana

alunos ufmt violência da pmNa última quarta-feira (06), a população do estado foi surpreendida pela ação violenta de policiais da Rotam contra estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso. Tiros de borracha, chutes, pontapés, socos, para conter uma manifestação pacífica que pediu o não fechamento da Casa Estudantil, localizada no bairro Boa Esperança. Pelo menos 10 alunos ficaram feridos, sendo que uma delas teve a mão quebrada em virtude do disparo feito pelo policial.

Participavam do manifesto cerca de 100 estudantes. Eles trancaram a Avenida Fernando Correa da Costa. Para desobstruir a via, populares acionaram a polícia. Primeiro, uma equipe da base de segurança do Boa Esperança se deslocou até o local. Sem conseguir limpar a rua, acionaram a Rotam. O resultado foi a ação desastrosa. Seis alunos foram detidos e dois advogados da Adufmat também. Eles foram acompanhar os depoimentos dos estudantes. Foram presos sob a alegação de desacato à autoridade.

O episódio rodou o país e tem causado indignação. Até agora, o único punido, considerado responsável pela ação, foi o capitão Gilson Vieira. Ele era comandante do Boa Esperança e acabou exonerado do cargo. Agora, executa apenas função administrativa no Comando Regional I. Dois policiais da Rotam também foram afastados.

O governo do estado instalou Procedimentos Administrativos Disciplinares (PAD) para apurar o fato. Mais uma vez a polícia de Mato Grosso mostra não estar preparada para atuar na Copa do Mundo de 2014.

Manifestações tanto favoráveis quanto contrárias aos policiais e aos estudantes têm sido publicadas na rede social Facebook. Uma sargento da Polícia Militar, Márcia Motta, resolveu sair em defesa dos policiais e disse os estudantes eram um “bando de maconheiros que só querem chamar atenção”.

A declaração resultou na instalação de um PAD contra Márcia, que teve que excluir a página do Facebook devido à repercussão de suas palavras.

Os estudantes e advogados presos afirmaram em coletiva de imprensa que processarão tanto o estado como a reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso.

Veja nesses links todos os desdobramentos da ação violenta:

Vereadores querem reunião com secretário de segurança para tratar de ação truculenta da PM

Mais de mil estudantes protestam contra repressão policial na Fernando Correa

Só o governador se omitiu. Deputados se posicionaram

Estudantes acampam em frente à reitoria da UFMT

Reitora se reúne com alunos e garante assistência jurídica

Veja aqui como foi a abordagem da Rotam aos estudantes da UFMT

Associações dos Policiais Militares repudiam os “excessos” da sociedade; mas tinham que repudiar primeiro os maus colegas

Gazeta Digital: líder estudantil contesta informações da UFMT

Diário de Cuiabá: Policiais da Rotam estão intimidando alunos

PM responsabiliza capitão por ação truculenta contra estudantes

PM exonera capitão Vieira e protege Rotam

0 Comentários

Deixe o seu comentário!