25 de Fevereiro de 2018 | SOBRE ESTE BLOG
Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017, 11h:10
Tamanho do texto A- A+

Cidade / POLÊMICA DAS LOTAÇÕES

Juiz determina que Prefeitura de Cuiabá e associação sentem para negociar

Associação quer o retorno das concessões precárias e a volta de oito linhas de táxi lotação em Cuiabá
LAICE SOUZA
DA REDAÇÃO

 

O juiz Luiz Aparecido Bertolucci, da Vara Especializada contra o Crime Organizado, determinou que a Prefeitura de Cuiabá e a Associação dos Usuários de Transportes Coletivos de Mato Grosso sentem para negociar o impasse da atividade de táxi lotação com a cassação das permissões do serviço coletivo alternativo.

Um termo de ajustamento de conduta (TAC) foi firmado e assinado pela prefeitura e o Ministério Público Estadual para que os contratos de permissões, de serviços de transporte alternativo, fossem cancelados. A associação quer manter as concessões válidas até que ocorra uma nova licitação e ainda afirma que como o termo não foi homologado judicialmente, não teria validade.


Segundo a associação, de forma antecipada, já que o TAC não foi homologado, extinguiu oito permissões/autorizações de serviços de táxi lotação, causando prejuízos aos usuários de transportes coletivos das linhas 106, 213, 311, 313, 314 e 412, correspondentes aos itinerários dos bairros CPA-3, Planalto, Novo Mato Grosso, Cidade Verde e Bela Vista.


Em sua defesa, a prefeitura sustentou que a permissão do serviço é ato unilateral e precário, sujeito "à discricionariedade administrativa, bem como que algumas permissões têm sido revogadas em decorrência de descumprimento, pelas empresas de táxi lotação, das obrigações fixadas na Lei Municipal, asseverando que as proibições não decorrem apenas da pactuação do TAC".


O juiz indeferiu o pedido de liminar proposto pela associação para retomada dos serviços daqueles que já tiveram a concessão cancelada e determinou a realização de uma audiência de conciliação para o dia 28  de setembro às 14h. Ainda segundo a decisão, o magistrado decidiu que o Ministério Público também deve ser intimado para participar da audiência.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Prefeita de Sinop se afastará do cargo em março

Arthur Virgílio desiste das prévias e critica Alckmin

Toffoli entrega voto do "foro privilegiado" no próximo mês

Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Carlos Fávaro é uma confusão política ambulante

VEJA MAIS

ARTIGOS

Hospital Julio Müller

Por: ALFREDO MENEZES

Mudanças sim! Conformismo não!

Por: JUNIOR MACAGNAM

Truco

Por: EDUARDO PÓVOAS
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Silval revela que 7 deputados fizeram extorsão por acordo na AL
  2. Blairo Maggi anuncia nesta segunda-feira se vai ou não disputar eleições
  3. Concessionárias elevam preços, mesmo sem cumprir contratos
  4. Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar
  5. Presidente do PT diz duvidar que STF impeça prisão de Lula a tempo

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL