25 de Fevereiro de 2018 | SOBRE ESTE BLOG
Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 09h:12
Tamanho do texto A- A+

Artigos / IRAJÁ REZENDE DE LACERDA

Regularização Fundiária e seu Impacto na Economia Brasileira

IRAJÁ REZENDE

 

A regularização fundiária é o procedimento pelo qual os assentamentos irregulares, urbanos e rurais, encontram a segurança jurídica e se inserem no mercado imobiliário. Este processo visa acabar com as irregularidades inerentes ao imóvel em questão, concedendo ao possuidor garantias jurídicas sobre a posse e adequando o bem às exigências urbanísticas e ambientais necessárias à sua licenciação pelo Estado, possibilitando ainda aos indivíduos o enquadramento nas políticas públicas sociais do governo.

 

Este procedimento surge também da necessidade de arrecadação tributária dos imóveis em questão, visto que quando não estão registrados devidamente, inexiste a possibilidade de comprá-los, transferi-los ou doá-los devidamente, nos ditames da lei, arrecadando os impostos devidos por cada medida de comercialização, os quais garantem a realização de um negócio jurídico correto e nos ditames da legislação, bem como resguardam a legitimidade do possuidor perante a sociedade. Os tributos, portanto, deixam de ser arrecadados quando a propriedade é irregular, acarretando em prejuízos para o próprio indivíduo e para o restante da sociedade, observada a manutenção da sociedade pelo Estado através da tributação sobre os bens, de forma que a regularização fundiária é uma forma de política pública para o fortalecimento do grupo social e para a segurança jurídica do possuidor do bem.

 

Dessa forma, com base no que é realizado já há algum tempo em países como Estados Unidos, Alemanha e França, foi sancionada pelo Presidente da República a Medida Provisória nº 759/2016, convertida este ano na Lei 13.456/2017, que lei dispõe sobre o novo plano de regularização fundiária no país.Esse plano traz como promessa a modernização e a agilidadedo procedimento burocrático de adequação dos imóveis em situação irregular, principalmente para as famílias rurais e de baixa renda, que perfazem a maioria da população sem garantia jurídica de posse, bem como possuem maior dificuldade de acesso às políticas públicas e processos de regularização. O plano busca ainda a regulamentação das propriedades urbanas, visto que grande parte possui alguma irregularidade em seu registro, de forma que irá conceder a estes possuidores os títulos sobre os imóveis que lhes são de direito, ressaltando-se como inovação o surgimento do direito de laje, nos moldes do que ocorre na Espanha, que tem por objetivo resguardar a posse do indivíduo em relação às propriedades autônomas edificadas.

 

Nesse sentido, a regularização fundiária insere mais capital na economia nacional através do recolhimento dos tributos e da possibilidade de realização de negócios jurídicos resguardados pela lei e garantidos pelo ordenamento jurídico. E, além dos benefícios econômicos, traz também a melhora nas condições sociais e o respeito aos direitos e garantias fundamentais dos indivíduos, iniciando pelo direito à moradia.

 

Irajá Rezende Lacerda é Presidente da Comissão de Direito Agrário da OAB/MT e Presidente da Câmara Setorial Temática de Regularização Fundiária da AL/MT.

(0) Comentário(s)

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

enviar comentário
Confira Também

caldeirão político

Prefeita de Sinop se afastará do cargo em março

Arthur Virgílio desiste das prévias e critica Alckmin

Toffoli entrega voto do "foro privilegiado" no próximo mês

Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar

VEJA MAIS

Vídeo comentário

Carlos Fávaro é uma confusão política ambulante

VEJA MAIS

ARTIGOS

Hospital Julio Müller

Por: ALFREDO MENEZES

Mudanças sim! Conformismo não!

Por: JUNIOR MACAGNAM

Truco

Por: EDUARDO PÓVOAS
VEJA MAIS

mais lidas

  1. Silval revela que 7 deputados fizeram extorsão por acordo na AL
  2. Blairo Maggi anuncia nesta segunda-feira se vai ou não disputar eleições
  3. Concessionárias elevam preços, mesmo sem cumprir contratos
  4. Ex-governador vira conselheiro e afirma: não compensa errar
  5. Presidente do PT diz duvidar que STF impeça prisão de Lula a tempo

ENQUETE

Se as eleições fossem hoje e Pedro Taques fosse candidato à reeleição, você votaria nele?
PARCIAL